70% dos Presidentes de Empresas tem presença ZERO nas redes sociais

Confesso que o estudo 2012 Fortune 500 Social CEO Index, publicado no CEO.com, me amedontrou. Esse índice foi criado para medir o quanto que os líderes empresariais estão usando as mídias sociais.

O método de trabalho da pesquisa foi bem simples. Eles mapearam os Presidentes (CEOs) das 500 Top Companies da Fortune e buscaram pela presença de cada um deles nas principais redes sociais. Basicamente eles olharam Twitter, Facebook, linkedIn, Google+, Pinterest, Wikipedia e blogs.

O resultado mostrou alguns números interessantes:

70,3% dos CEOs não tem NENHUMA presença nas redes sociais.

29,7% dos CEOs tem presença em pelo menos 1 rede social.

57,2% dos CEOs que tem PRESENÇA em pelo menos uma rede social contribui para um BLOG ou tem sua própria entrada na Wikipedia.

Apenas 19 dos 500 CEOs (ou seja, 3,8%) têm perfil no Twitter. Enquanto 9 deles são ativos no Twitter (emitiram 1 tweet nos últimos 100 dias), 5 outros nunca emitiram um único tweet.

38 dos 500 CEOs
(7,6%) estão no Facebook. Enquanto 25 deles têm menos de 100 Amigos no FB, apenas 2 CEOs têm mais de 500 Amigos.

129 CEOs (25,9%) têm perfil criado no LinkedIn. Surpreendentemente 36 CEOs tem zero ou apenas 1 conexão no LinkedIn. Por outro lado, 10 CEOs têm mais de 500 conexões no LinkedIn.

Nenhum CEO tem perfil no Pinterest

183 CEOs (36,7%) têm seu próprio perfil criado na Wikipedia.

6 CEOs (1,2%) contribuem para blogs

Os mais notáveis CEOs em termos de PRESENÇA SOCIAL são: Rupert Murdoch, Michael Dell e Warren Buffet.

Os números incomodam pois evidenciam que os líderes das maiores empresas ainda não entenderam a relevância e o potencial das redes sociais nos dias de hoje.

Num post que publiquei em 2011, eu comentei a respeito de um estudo chamado “Socializing your CEO: from (un)social to social“, produzido pela Weber Shandwick. Esse estudo analisou as atividades dos CEOs das 50 maiores empresas do mundo e concluiu que a grande maioria dos CEOs estão muito distantes das redes sociais.

Existem razões evidentes para os executivos não blogarem. Um dos posts mais acessados que já escrevi chamado “10 motivos por que os executivos não blogam” aborda essa questão. Mas, no fundo, lá no fundo mesmo, os executivos pensam que eles têm coisas mais importantes para fazer do que estar pendurado nas redes sociais. Em suas mentes existe uma sensação de perda de tempo quando se fala em redes sociais. Reconheço que os blogs e as redes sociais têm um enorme poder de causar distração, mas não podemos negligenciar o poder de comunicação, relacionamento e engajamento que tais mídias oferecem. O estudo citado cima da Weber Shandwick apresenta 6 regras básicas para que os CEOs melhorem sua reputação social. Vale a pena ver.

Enfim, veja abaixo mais detalhes da excelente e surpreendente pesquisa do CEO.COM:

Texto publicado no blog da CRN