A Geração Y é menos preconceituosa do que as anteriores?

Texto meu publicado no blog Foco em Gerações que reproduzo abaixo.

As empresas têm muita dificuldade em falar de diversidade, especialmente entre seus colaboradores. Parece que o discurso fica mais na retórica e na intenção do que a prática demonstra. De maneira geral, as empresas conquistaram alguns avanços na igualdade para mulheres, um pouco menos para afrodescendentes e deficientes, mas pouquíssimo em GLBT. Aliás, minha percepção é que GLBT ainda é muito pouco discutido dentro das empresas. Acho até que o tema é debatido nas salas fechadas e nos fóruns reservados, mas tratar desse assunto de forma transparente nos canais de comunicação interna das empresas ainda é um desafio e tanto.

Para esclarecer, GLBT é a sigla de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros.

As empresas ainda não entenderam que as gerações mais novas encaram esse tema com muito mais naturalidade do que as gerações mais velhas. Portanto, o momento atual é muito oportuno para as empresas iniciarem um diálogo sobre este tema com seus funcionários mais jovens. Os tabus, preconceitos e paradigmas estão sendo quebrados em toda parte, pela TV, pela internet, pelo comportamento cotidiano das pessoas e dos movimentos populares marcantes, como por exemplo as inúmeras paradas gays que acontecem ao redor do mundo. Acho que o lugar onde menos se fala a respeito disso é no ambiente empresarial. As empresas, desejando ser politicamente corretas, acabam sendo passivas e dissonantes de um movimento importante que ocorre na sociedade.

Na IBM, a diversidade está no DNA da companhia. Encaramos o tema com seriedade, apesar de estarmos conscientes que ainda há muito por fazer. O mês de junho é o mês da diversidade dentro da empresa. Temos uma série de atividades para falar do assunto, que cada vez mais é discutido abertamente.

Semanas atrás fizemos uma ação de comunicação interna que considero uma excelente prática educativa. Criamos um pequeno folder chamado: “GLBT – feche as portas para o preconceito”. Nele explicamos o que é diversidade, a política da empresa no tema, os grupos de diversidade e os termos que a grande maioria confunde.

Adorei quando escrevemos que o objetivo maior do grupo de diversidade GLBT é promover um ambiente inclusivo e evoluir até que o grupo possa se tornar desnecessário, o que ocorrerá quando a diversidade for um assunto de interesse comum no cotidiano de cada um de nossos profissionais, parceiros, clientes e familiares”. Enfim, o sonho de uma sociedade mais evoluída, mais consciente, mais humana e menos preconceituosa.

ESSE FOLDER foi distribuído para todos os funcionários, no meio de muitas atividades, entre elas: mesas-redondas, palestras, vários artigos nos canais de comunicação interna e muita, muita, muita conversa.

Em resumo, o primeiro passo para dismistificar GLBT é falar sobre o tema, de forma ativa, natural e transparente.