Blog da Petrobras – A discussão está apenas começando

Tenho acompanhado as discussões sobre o blog da Petrobras – Dados e Fatos e quase todas são emocionais e extremadas. Na maioria das vezes, as pessoas defendem avidamente um dos lados, como se houvesse um combate entre Petrobras e mídia. Os blogueiros, com certeza, louvam a Petrobras pela coragem e ousadia (é só entrar no blog da Petrobras para ver os comentários emocionados). Os veículos de imprensa, em bloco, dizem que o blog da empresa está agindo de forma errada, para não dizer não ética.

O editorial do O Globo de ontem mostra a gravidade dessa situação. Ele cita “O ataque da Petrobras à imprensa”, veja AQUI.

Já a ANJ, publicou um comunicado chamado “ANJ se manifesta contra a Petrobras” e já abre o texto dizendo “A Associação Nacional de Jornais (ANJ) manifesta seu repúdio pela atitude antiética e esquiva com que a Petrobras vem tratando os questionamentos que lhe são dirigidos pelos jornais brasileiros”. Acesse AQUI.

A Petrobrás através de seu blog, respondeu a ANJ, dizendo que “A Petrobras reafirma que, assim como os veículos de comunicação, defende a livre e ampla circulação de idéias, informações e conhecimento”. Veja AQUI.

Eu ainda não vi muitos comentários das assessorias de imprensa, mas me parece que elas ainda estão tentando entender o cenário. Eles entendem o dilema da imprensa, mas também sabem que o mundo dos blogs é poderoso, crescente e um excelente canal de comunicação das empresas com o mercado e o consumidor. É um caminho inevitável. Um dia, TODAS as empresas terão um ou mais blogs, algumas já estão saindo na frente.

Edu Vasques, em seu blog Pérolas das AIs, escreveu algumas vantagens evidentes do blog da Petrobras, entre elas comunicação direta com o público e exposição de maneira clara da versão dos fatos da empresa, sem possíveis distorções da mídia. Acesse AQUI.

Por outro lado, o Azenha em seu blog Vi o Mundo, publica 10 razões porque os jornais investem contra o blog da Petrobras, sendo a primeira: porque perdem o “monopólio da informação” e, com isso, autoridade sobre o público. Veja AQUI.

A grande questão é a EMOÇÃO e o RADICALISMO existente em todas essas discussões. O grande ganhador nisso tudo é o cidadão, como eu e como você, pois a Petrobras através desse blog perturbao sistema“. E isso é saudável, independentemente do resultado final. Mas acho que a Petrobras e a imprensa saem perdendo ao manter esse clima de hostilidade, pois o desgaste é evidente e recuperar algumas relações poderá tomar tempo.

A Petrobras tem que pensar muito bem em como vai conduzir sua relação com a imprensa a partir dessa novidade do blog. Fico imaginando que devem estar rolando dezenas de reuniões internas para discutir os próximos passos. Certamente algumas das considerações abaixo devem estar sobre a mesa:

– O blog da Petrobras pode atingir centenas ou milhares de pessoas;
– Os jornais atingem milhões, diariamente.

– O blog atinge somente aqueles que procuram o blog, ou seja, é o leitor interessado que procura o blog;
– Os jornais são pervasivos, vão em todos os lugares, atingem os interessados e os desinteressados. Um título quente, na capa, como aquele “80% das compras da Petrobras são feitas sem licitação”, torna um desinteressado leitor num potencial interessado, num piscar de olhos. E podemos considerar que uma boa parte dos leitores fica só no título, tirando suas próprias conclusões sem se preocupar em entender o contexto.

– O blog é um canal de comunicação da empresa, portanto, conceitualmente, parcial;
– Os jornais formam um canal de credibilidade no país e supostamente são imparciais. Eu sei que existem muitos questionamentos a respeito dessa “tal” imparcialidade dos jornais, mas vale lembrar que os jornais pagos no Brasil têm uma média de circulação diária de 8,5 milhões exemplares (dado de 2008 segundo a ANJ, ver AQUI). É muito jornal…

Enfim, acredito muito na iniciativa do blog da Petrobras, mas não como um canal de alternativo ou de ‘combate” ao tradicional canal da imprensa, mas sim como um canal complementar. Desenvolver e manter bons relacionamentos com a imprensa deve ser um objetivo constante da empresa. Por outro lado, é razoável esperarmos que a imprensa seja mais equilibrada e menos emocional nas suas análises em relação a Petrobras. Imparcialidade, pragmatismo e ética tem que nortear essa relação. A sociedade agradece.