Cancelei minha assinatura do jornal, e agora? Será que consigo viver sem isso?

Cancelei minha assinatura do jornal, e agora? Será que consigo viver sem isso?

Cancelei minha assinatura do jornal, e agora? Será que consigo viver sem isso?

150 150 Mauro Segura

Foi com muito pesar que eu cancelei dias atrás a assinatura do meu jornal impresso predileto nos últimos 20 anos. Confesso que fiz isso com medo de me arrepender, mas também confesso que tomei essa atitude por não aguentar mais ver jornais acumulados pela casa, ainda no saquinho de plástico reciclável verde. Juntava os jornais e no final de semana lá ia eu abrir os saquinhos e ler vários jornais ao mesmo tempo, um atrás do outro. Pelo menos os saquinhos eram úteis pois serviam para recolher o cocozinho do Zequinha, o cão de guarda da casa 🙂

A fato que me desesperou foi quando passei quase três semanas acumulando os jornais sem leitura. Como estava deixando a casa feia, peguei todos os saquinhos com os jornais e joguei na mala do carro: “Depois eu leio”… e nunca mais li. A foto aqui nesse post não me deixa mentir 🙂

Publiquei um post “Cancelei meu jornal” no Facebook e recebi mensagens encorajadoras. Eu não imaginava que ia encontrar amigos e colegas com a mesma dor. E, melhor, descobri que essa turma não se arrependeu e se sente muito bem informada. 

Alguns me disseram que vivem melhor desde que cortaram a leitura diária do jornal e até da TV. Optaram por uma espécie de “dieta” de informação. Um deles disse que cancelou há muitos anos as assinaturas de jornais e revistas, até as mensais. E, eventualmente, compra jornal no final de semana, quando sente vontade, e se permite variar com jornais locais e até de outros estados. Um amigo disse que o jornal impresso é feito “ontem”, com notícias de “ante-ontem” para ser lido hoje. Ou seja, é notícia velha. Além disso, tudo parece ser muito repetido. Jornal Nacional, Jornal das Dez, Jornal da Band, Folha, Estadão, O Globo, Veja, Época, todos cobrem as mesmas notícias fazendo você ver e ler as mesmas coisas várias vezes. E, para piorar, o excesso de informação gera ansiedade e falta de foco no que é importante para a vida das pessoas. E ele terminou dizendo: “Informe-se duas vezes por semana que tá otimo. O resto o povo te conta no corredor”.

Pensei em cancelar a assinatura impressa e partir para uma assinatura digital. Mas descobri que O Globo, ridiculamente, não tem a sua aplicação disponível para Android, somente para iPad. E eu uso um tablet Android. 🙁

Por fim, para fechar o post, compartilho um momento de intimidade: a foto da mala do meu carro com dezenas de saquinhos de jornal que fiquei para ler depois 🙂