Estudo comprova os benefícios tangíveis no uso das mídias sociais pelas empresas

O último post gerou alguma polêmica, especialmente naqueles que não conseguem ver benefícios tangíveis na adoção das mídias sociais pelas empresas. Nos últimos dias eu recebi alguns emails falando sobre isso. Para respondê-los, eu decidi lançar mão de uma pesquisa publicada meses atrás. Compartilho aqui nesse post o que aprendi com o estudo.

Em dezembro de 2010, a McKinsey publicou um documento chamado “The rise of the networked enterprise: Web 2.0 finds its payday“. O que mais me agradou foi saber que a maioria das empresas pesquisadas afirmou que consegue medir os resultados no uso e aplicação das mídias sociais aos seus negócios e operação. Isso é muito legal, especialmente se considerarmos que a falta de clareza e o retorno do investimento é o tradicional dilema das empresas. Falar em benefícios mensuráveis quando conversamos sobre o uso das novas mídias é sempre um desafio, o achômetro sempre funciona nessas horas.

A pesquisa contemplou respostas de 3.249 executivos de várias regiões, indústrias e áreas funcionais (o estudo não cita mais detalhes a respeito do perfil dos entrevistados… senti falta disso!). Dois terços dos pesquisados afirmaram que usam web 2.0 em suas organizações. O estudo comprova algo que todos nós achamos que está ocorrendo: o uso de blogs e mídias sociais pelas empresas vem crescendo a galope.

Nove entre cada dez executivos pesquisados conseguiram listar pelo menos um benefício tangível.

Veja abaixo alguns números apresentados no estudo.

Das empresas que usam web 2.0 e mídias sociais internamente:
77% aumentaram a velocidade de acesso ao conhecimento;
60% reduziram os custos com comunicação;
52% reduziram o tempo para acessar especialistas;
44% reduziram os custos com viagens;
41% aumentaram a satisfação dos funcionários;
40% reduziram custos operacionais.

Dentre as empresas que usam web 2.0 e mídias sociais para interações com clientes:
63% aumentaram a efetividade de marketing (conhecimento, consideração, conversão e lealdade a marca);
50% aumentaram a satisfação de seus clientes;
45% reduziram custos de marketing;
35% reduziram custos de suporte.

Dentre as empresas que usam web 2.0 e mídias sociais na interação com parceiros e fornecedores:
57% aumentaram a velocidade de acesso ao conhecimento;
53% reduziram os custos com comunicação;
45% aumentaram a satisfação de fornecedores, parceiros e especialistas externos;
40% aumentaram a velocidade de acesso a especialistas externos.

A pesquisa mostrou que existem empresas que usam web 2.0 apenas internamente, outras apenas externamente (com foco na interação com cliente), e existe uma pequena gama delas que usam de maneira ampla, abrangente, dentro e fora da organização. O documento chama essa elite de empresas de “Organizações totalmente conectadas”, que formam apenas 3% do total que adotaram web 2.0. São empresas que estão usando tais tecnologias de forma revolucionária, alcançando benefícios extraordinários nas interações com seus funcionários, clientes e parceiros. Respondentes dessas empresas reportaram benefícios significativos, mostrando que o uso intenso e aberto, tanto interno quanto externo, potencializa o ganho para a empresa. Nessa especial lista de organizações, existe uma forte integração da web 2.0 às atividades diárias, além de maiores níveis de colaboração e quebra de barreira organizacional.

O estudo conclui dizendo que as empresas cometem um erro enorme ao não incentivar a criação de redes sociais internas e externas. Os executivos deveriam pressionar as suas organizações para se tornarem “Organizações completamente conectadas”, ou, como aparece no documento, “Fully networked enterprises” (adorei isso!!).

O documento sugere os seguintes passos:
1– Integrar o uso da web 2.0 nas atividades diárias dos funcionários;
2– Forçar continuamente a adoção e uso;
3– Quebrar as barreiras para uma mudança da organização, através de mais colaboração, fluidez de informação, decisão distribuída e menor rigidez na hierarquia organizacional;
4– Aplicar as tecnologias de web 2.0 nas interações com clientes, parceiros de negócios e funcionários.

O documento vale muito ser lido. Acesse AQUI.