Eu trabalho melhor quando tenho um tubarão atrás de mim

Eu raramente publico histórias aleatórias que recebo da internet neste blog, mas esta aqui é muito boa e bem conectada com o mundo do trabalho em que vivemos. Leia a história e tire as suas próprias conclusões. O autor é desconhecido.

Os japoneses sempre adoraram peixe fresco. Porém, as águas do mar perto do Japão não produzem muitos peixes há décadas. Assim, para alimentar a sua população, os japoneses aumentaram o tamanho dos navios pesqueiros e começaram a pescar mais longe da costa. Quanto mais longe os pescadores iam, mais tempo levava para o peixe chegar. Se a viagem de volta levasse mais que alguns dias, o peixe já não era mais fresco. E os japoneses não gostaram do gosto destes peixes.

Para resolver este problema, as empresas de pesca instalaram congeladores em seus barcos. Eles pescavam e congelavam os peixes em alto mar. Os congeladores permitiram que os pesqueiros fossem mais longe e ficassem em alto mar por muito mais tempo. Os japoneses conseguiram notar a diferença entre peixe fresco e peixe congelado e, é claro, eles não gostaram do peixe congelado. Entretanto o peixe congelado tornou os preços mais baixos.

Então, as empresas de pesca instalaram tanques de peixe nos navios pesqueiros. Eles podiam pescar e enfiar os peixes nos tanques como “sardinhas”. Depois de certo tempo, pela falta de espaço, eles paravam de se debater e não se moviam mais. Eles chegavam vivos, porém cansados e abatidos. Infelizmente os japoneses ainda podiam notar a diferença do gosto. Por não se mexerem por dias, os peixes perdiam o gosto de frescor. Os japoneses preferiam o gosto de peixe fresco e não o gosto de peixe apático.

Como os japoneses resolveram esse problema?
Como eles conseguiram trazer ao Japão peixes com gosto de puro frescor?

Para conservar o gosto de peixe fresco, as empresas de pesca japonesas ainda colocam os peixes dentro de tanques, nos barcos. Mas, eles também adicionam um pequeno tubarão em cada tanque. O tubarão come alguns peixes, mas a maioria dos peixes chega “muito vivo” e fresco no desembarque. Tudo porque os peixes são desafiados, lá nos tanques.

A histórica acima é uma bela metáfora do mundo do trabalho. Inconscientemente nós procuramos trabalhar em ambientes seguros, nos aproximamos de pessoas que pensam igual a nós, sempre com o objetivo de enfrentarmos o mínimo possível de contradições e desconforto. Procuramos sempre nossa zona do conforto. Esse comportamento nos transforma em “peixes preguiçosos”. Queremos distância dos “tubarões” que pensam diferente da gente, que nos desafiam e que nos tiram da zona de conforto. Tubarões geram inquietude, desconfiança e ansiedade. Porém, são os tubarões que geram o ambiente de desafio constante, de desconforto contínuo, que faz a organização se desenvolver. A única maneira para crescer sempre é fazer aquilo que “você não sabe fazer”.

Portanto, como norma de vida, tenha um tubarão no tanque junto com você.