Foto no Facebook provoca demissão de funcionário na Austrália

Um homem na Austrália, que tomou dois dias de licença médica, foi demitido de seu emprego depois que seu empregador viu uma foto dele numa festa no Facebook. O ex-funcionário ainda buscou um atestado médico para tentar rever o caso, mas foi em vão. Ele foi ao FWA – Fair Work Australia (uma espécie de Tribunal de Relações Trabalhistas do país) – para tentar apelar contra a sua demissão, mas o tribunal afirmou que existiam “claras evidências” da conduta negativa do rapaz.

Existem, pelo menos, cinco casos registrados na FWA onde funcionários foram demitidos por conta de evidências no Facebook. É bem possível que existam mais casos que não foram registrados na FWA. Segundo declaração de autoridade da FWA, cada vez mais é maior o número de trabalhadores reclamando de seus empregadores nos sites de redes sociais. O problema é que o Facebook é uma plataforma pública e muitas vezes os trabalhadores se equivocam em suas colocações e acabam se expondo de maneira inadequada.

A mesma autoridade afirma que posts no Facebook, mesmo que realizados fora do horário de trabalho, ainda estarão lá no dia seguinte quando o trabalho recomeça. E termina dizendo: “Seria insensato os funcionários pensarem que podem dizer o que quiserem em sua página de Facebook com imunidade total de todas as consequências”. Veja AQUI a história publicada em um dos jornais locais.

Este é mais um caso que pode ser incluído no capítulo “Use as Redes Sociais com moderação. A vítima pode ser você“. Aliás, eu já publiquei várias histórias aqui neste blog. Eis algumas para recordar:
Ex-funcionária sofre ação judicial por sua atuação em rede social
Mulher canadense tem benefício da seguradora suspenso devido a fotos no Facebook
Justiça condena dono de blog por comentário de internauta
Diretor de empresa faz comentário inapropriado no twitter e é demitido

Por outro lado, um caso recente mostra que o assunto é polêmico e pode ser analisado por prismas diferentes. Uma empresa americana está sendo acusada de demitir ilegalmente uma funcionária por ter criticado o chefe no Facebook. O Conselho Nacional de Relações Trabalhistas, uma agência federal americana, afirma que os empregados tem direito de conversar sobre as condições de trabalho, seja no bebedouro ou no Facebook”. Ou seja, segundo a agência, um trabalhador não pode ser demitido por externar uma opinião no Facebook. Veja mais detalhes do caso AQUI.

O fato é que este cenário turbulento sustenta o resultado de uma pesquisa que apontou que 17% das empresas americanas já puniram empregados por violação das políticas de uso de blogs no trabalho e 9% reportaram que demitiram empregados por tal violação. O risco é estes índices aumentarem. Como já escrevi em outras vezes, minha percepção é que parte do problema vem das próprias empresas. Muitas delas se aventuram nas redes sociais e lançam blogs sem uma preparação adequada.

Enfim, este é um processo de aprendizado. Ainda estamos só no comecinho…