Huffington Post e blogueiros: o fim da magia depois da compra da AOL

Huffington Post e blogueiros: o fim da magia depois da compra da AOL

Em setembro passado, eu escrevi um post sobre o Huffington Post (carinhosamente chamado de HuffPo), citando que ele é o exemplo mais próximo do que podemos chamar de jornalismo do futuro.
Caso você não conheça o HuffPo, eu recomendo que você consulte AQUI. Vale muito conhecer.

A novidade é que o HuffPo foi comprado recentemente pela AOL pela bagatela de US$ 315 milhões. Dias depois do anúncio público, já surgia na internet um burburinho onde vários blogueiros colaboradores expontâneos do HuffPo pediam uma “boquinha” nesse “trocadinho”. Ou seja, eles acham que têm direito de receber uma parte desse dinheiro embolsado por Arianna Huffington, dona e idealizadora do HuffPo.

A razão é simples e direta. Eles alegam que o negócio com a AOL só aconteceu porque o HuffPo foi construído com a ajuda de escritores/colaboradores que nunca receberam qualquer remuneração por seu trabalho. Eles acham que merecem um quinhão nessa bolada.

Já estão pipocando muitos comentários na rede. Existe um grupo no facebook chamado “Hey Arianna, Can You Spare a Dime?” (Ei Arianna, você pode me dar um trocado?). A mensagem dos blogueiros para ela é dura.

Aparentemente, o processo de reação teve início após o comunicado que Arianna enviou para todos os blogueiros do HuffPo informando a transação com a AOL, e reforçando que a única mudança para eles seria um grande aumento na audiência. O resto continuaria tudo igual. Parte dos blogueiros não gostou da falta de transparência da carta. Arianna não citou o valor da transação e nem comentou que vai receber um salário anual de US$ 4M do novo empregador.
O entendimento da carta foi simples: os blogueiros continuarão sem receber qualquer remuneração pelos textos escritos e a contra-partida é que a visitação de seus blogs deverá aumetar bastante. Veja a polêmica carta AQUI.

Muitas mensagens sobre o assunto estão correndo na web, como o post “Huffington Should Pay the Bloggers Something Now” publicado no blog @Mediactive. Outro post, com título forte, que vale a pena ler, é o post “Huffington Post and AOL: the end of Web 2.0“, assinado por Douglas Rushkoff do @guardian.co.uk

Esse assunto pode ser analisado por diversos prismas. Mas, na minha opinião, a melhor análise é aquela publicada no blog @techdirt, num post chamado “Why The Arguments That The Huffington Post Must Pay Bloggers Is Misguided: Payment Isn’t Just Money“. Eu concordo com a análise.

O principal motivo que os blogueiros colaboram de graça para o HuffPo é que isso vale a pena para eles, especialmente pela enorme exposição que todos eles recebem. Ninguém está ali por acaso. Todos encontram ali o melhor local para ganhar atenção do que outros meios disponíveis, e continuarão lá enquanto valer a pena. Foi assim que cada um deles decidiu entrar como colaborador do HuffPo e continuam lá até hoje, sem qualquer remuneração. Aliás, essa foi uma condição clara para eles desde o início. A avaliação é essa, simples assim. O casamento será “eterno” enquanto for melhor para todos.

E a minha percepção de futuro é mais simples ainda.
Quem quiser sair do HuffPo porque se sentiu passado pra trás, poderá sair pois deve existir uma fila quilométrica de novos colaboradores e escritores querendo entrar no HuffPo. O que não falta são geradores de conteúdo capacitados e interessantes.

Quem sair do HuffPo poderá seguir, talvez, uma carreira de freelancer. Terá que tratar de buscar seus relacionamentos e criar outros, investir algum dinheiro para ter os recursos e condições que hoje o HuffPo já oferece para os colaboradores.

Se você estuda numa universidade ou trabalha numa agência, esse poderia ser um excelente tema para debate, né?

Enfim, essa é a minha opinião. Qual é a sua?

Eu, de minha parte, já estou até pensando em me tornar contribuidor internacional do novo HuffPo… sem remuneração. Who knows?