Liberamos as mídias sociais ou controlamos os emails?

Moreira, o gerente de RH, entrou na sala do Pimentel, presidente da XYZ, certo de que iria convencer o Pimentel dessa vez.

— Pimentel, precisamos adotar as mídias sociais dentro da XYZ. Precisamos deixar os funcionários falarem. A pressão está grande.

Pimentel, olhou com incredulidade a pergunta do gerente de RH da empresa e respondeu:
— Moreira, eu não acredito no que você está falando. Já falamos sobre isso antes. Como vamos controlar o que vai ser dito nessas redes sociais?

Moreira respondeu:
— Nós não vamos controlar. É impossível controlar, da mesma maneira como não controlamos os emails que os funcionários recebem e mandam para fora da companhia. Também não controlamos as ligações telefônicas feitas pelos funcionários.

Pimentel olhou para o horizonte. Ele nunca havia pensado nisso. Não é que o gerente tinha razão? Após uma reflexão exclamou:
— Moreira, chama o responsável pela TI.

Em menos de 5 minutos, chegou Miguel, o gerente de TI.

Olhando fixamente para ele, Pimentel exclamou:
— Miguel. A partir de agora quero que todos os emails, que entram ou saiam da empresa, sejam lidos e analisados. Tudo que entra e tudo que sai. Ache uma maneira de fazer isso. Tem que interceptar todos os emails.

— O  senhor quer que a gente leia todos os emails?

— Sim. Tudinho.

— Mas não vai dar. É impossível. Quem vai fazer isso.

Pimentel respondeu:
— Chama o Raul.

E veio Raul, o gerente de comunicação. Assim que entrou na sala, Pimentel falou firme:
— Raul, Moreira e Miguel. Vocês são responsáveis por TI, RH e Comunicação. A partir de agora vocês têm que ler todos os emails que o pessoal escreve. Nenhum pode passar.

Em resumo…
A reunião era para a empresa liberar as mídias sociais e acabou na decisão de controlar os emails da empresa. A história é engraçada, mas não deixa de ser trágica. O lado triste dessa ficção é que ela acontece em muitas empresas, que começam a discutir a implementação pelo lado mais perverso: o controle. Surpreendentemente muitos líderes empresariais ainda pensam que controlam algo dentro das empresas, o que é mera ilusão.