Nós, blogueiros, podemos mudar esta eleição

  • Outros

Este post é para você, que frequenta as redes sociais, que tem um blog, que lê blogs, que vibra com o twitter, que acompanha as notícias online e que está sempre conectado à internet.

Eu e você temos um papel fundamental nesta eleição brasileira. Todos nós desejamos um país mais justo, um governo mais conectado com as aspirações da sociedade, líderes que realmente trabalhem pensando em construir um país de sucesso no longo prazo e que pensem em construir as bases fundamentais para gerações futuras mais dignas e felizes.

As redes sociais formam hoje um dos principais meios de influência e engajamento da sociedade. Elas são capazes de movimentar milhares ou milhões de pessoas em busca de alguma coisa. Seja para o bem ou para o mal. Milhões de brasileiros navegam pela internet todos os dias. Enfim, como podemos influenciar esta massa de pessoas para as eleições de outubro em nosso país? Como podemos tornar nossos cidadãos mais informados, conscientes e cúmplices na escolha dos governantes corretos que precisamos para um construir um país melhor? Não somente para quatro anos, mas para as três próximas décadas.

Nós, frequentadores e articuladores das redes sociais, temos que criar um movimento de influência para dar mais informação e consciência à população sobre os candidatos, seus programas, compromissos e ideais. Temos que divulgar seus valores, seus currículos e suas histórias.

Eu já estou fazendo a minha parte. Acompanho regularmente os twitters dos três principais candidatos: José Serra, Dilma Roussef e Marina Silva. Leio muito sobre eles em todos os canais de informação. Quando tenho alguma informação que julgo importante, trato de divulgar para os meus amigos. Esta é a minha colaboração para dar mais consciência aos meus amigos para que escolham a pessoa mais preparada para presidir o país. Mas isto não vale só para as eleições presidenciais não. Vale para senador, deputado, governador e até síndico do condomínio.

Movimentos interessantes estão acontecendo na web. Eis apenas alguns poucos exemplos.
A Procuradoria Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro já informou que planeja divulgar pelo site e pelo Twitter os candidatos ficha-suja. Aliás, a grande maioria das procuradorias estaduais estão anunciando isso. A lei complementar 131, em vigor desde final de maio, diz que estados, municípios (com mais de 100 mil habitantes) e distrito federal têm, desde já, de dispor na internet as respectivas arrecadações e o destino dado ao dinheiro do contribuinte. A abertura de contas pela internet ajuda na criação de grupos de cidadãos que se organizam para fiscalizar o poder público. Há ONGs como Contas Abertas e Rio Como Vamos, que há tempo já exercem esta importante atividade. A campanha do pré-candidato José Serra colocou no ar o site www.propostaserra.ning.com para promover a discussão do programa de governo. Trata-se de uma rede social que ainda terá acesso restrito, pelo menos por enquanto, existe um temor de que os adversários políticos entre nesta rede para gerar um debate negativo. Certamente os outros candidatos devem ter iniciativas parecidas. Na cidade do Rio de Janeiro, inicia-se um movimento contra o pagamento da taxa de iluminação pública,. Entrou no ar o site ‘Apague essa ideia“. Ou seja, existem toneladas de coisas acontecendo na web que tocam o poder público.

Enfim, faça a sua parte. Sugiro que siga os 3 principais candidatos, pelo menos no Twitter, e trate de repercutir as suas ideias, programas e discussões. Ajude a construir o Brasil melhor. Eu sigo os três, apesar que já tenho o meu presidente na cabeça. Mas quero confirmar se estou fazendo a escolha certa.

Dilma Roussef: dilmabr
José Serra: joseserra_
Marina Silva: silva_marina

Modificado em 23/06/2010:
Eu nunca altero um post já publicado, mas hoje vou fazer uma exceção.
Recebi uma chamada muito elegante do Luis Felipe dizendo que, no mínimo, eu deveria ter sugerido que todos os candidatos à presidência fossem seguidos, e não somente os três que mais se destacam nas pesquisas. Ele disse que os blogs deveriam fazer o contrário e mostrar o que a grande mídia não mostra. Ele está certíssimo e eu, humildemente, reconheço isso. Portanto, fica aqui o registro. E eu já vou correr atrás dos endereços virtuais (twitters, blogs, sites, etc) dos outros candidatos.
Valeu pelo toque, Luis Felipe. Obrigado por visitar meu blog.