Uma visão perturbadora sobre o marketing que conhecemos

  • marketing

Sabe aquela pedrinha que fica no sapato? Vou contar uma coisa aqui que já estou para escrever faz tempo.

Em junho, o Pyr Marcondes publicou um artigo chamado “Três decálogos para um mercado que se dissolve“. Esse artigo me atropelou. Sabe aquele artigo tipo pá pum? Não tem salamaleque e nem meio termo. Ele é direto: o mercado que a gente conhece está se dissolvendo, porra! Vai ficar aí parado?

Se você não leu este artigo. Então pare, vá ao link, tome um tapa na cara e volte.

E aí? Leu? Saiu atordoado? Rolou uma reaçãozinha ou uma vontade de saber o que ele andou fumando? Você pode não concordar ou não acreditar, pode pensar que isso é coisa do Dr. Jekyll, mas não é não. É o Mr. Hyde que está falando! O Pyr foi direto, sem floreios. Ele mostrou três decálogos: um para agências, outro para os grupos de mídia e um terceiro para os anunciantes. Simples assim. Eu já perdi a conta de quantas vezes eu li esse artigo.

O artigo do Pyr é brilhante, perturbador, sem panos quentes e emblemático. Todo profissional de marketing e comunicação deveria ler este artigo quando acordar – todos os dias. Você acorda, escova os dentes e lê o artigo. Trate-o como um medicamento. Você pode até não tomar um dia, mas se não tomá-lo com regularidade, você vai ficar doente. Pode ser antes do almoço ou antes de dormir. Imprima várias cópias e cole na sua mesa, no espelho do banheiro de sua casa, no para-brisa do carro, transforme em screen saver do seu tablet, sei lá.

Notou que são 10 mandamentos para cada um? Por isso é decálogo! São pedras fundamentais. O Pyr é o nosso Moisés. Acho que você deveria ler isso todo dia, até decorar. Um a um.

O marketing tem um novo ecossistema. Estamos vivendo o derretimento das antigas e tradicionais estruturas de marketing e comunicação. O grande dilema dessa fase que vivemos é que ainda não temos clareza de para onde estamos indo. Estamos numa estrada e não sabemos onde ela termina. Alguns estão de carro, outros de bicicleta, alguns a pé – vai demorar, hein? –, mas estamos todos na mesma estrada sem saber o destino final. Isso gera uma tremenda ansiedade.

Sabe aquela imagem do barco afundando em alto mar? Quando isso acontece, você se segura na única coisa que te salva quando o barco afunda: o mastro. Ele vai ser a última parte do barco que vai afundar. E você fica ali no mastro, com o barco afundando devagarinho, você olhando para o infinito com a esperança de que algo extraordinário vá acontecer para salvar você. E você continua afundando… E aí? Conseguiu comparar com algo ou com alguém? Esse mastro está enchendo de gente, hein?

Acho que faltou uma análise adicional na reflexão do Pyr: o profissional de marketing e comunicação. Ele citou todo mundo em sua reflexão: as agências, os grupos de mídia, os anunciantes e outros players de mercado. No meio disso tudo está o ser humano. As cadeiras, as mesas e os computadores não decidem sozinhos. São as pessoas. Portanto, o elemento fundamental nessa transformação do marketing é o profissional. Os decálogos do Pyr estão centrados no que nós, profissionais de marketing, queremos fazer com nossas vidas. Podemos continuar produzindo o pãozinho quente de sempre ou tentarmos surfar a onda da mudança.

E aí? A água já tá batendo no joelho? Qual é o tamanho do seu mastro?