Eu e minha caverna

Carta escrita para Regina em 28-06-2020.

Amor.

Hoje eu tomei uma decisão importante e preciso dividir com você.

Quando você partiu, há 4 meses, a sensação de perda foi enorme. Enfrentar a realidade da sua ausência física me provocou imensa dor. E tudo piorou quando me dei conta que o meu futuro seria sem você. São pensamentos egoístas, eu sei, de alguém que só olha para si, mas é algo que continua sendo incontrolável para mim. Me perdoa por isso?

Semanas depois, os meus devaneios mudaram de direção. Com a sua partida, eu não somente havia perdido você, mas também perdia uma parte de mim. Eu não tinha clareza do que havia perdido, mas tive a impressão de que o melhor de mim foi embora com você. Sem você, me tornei um ser humano incompleto.

É impossível ser tão feliz e realizado como antes. Eu já vivi o melhor da minha vida. A sensação de perda vai além da sua ausência e do que desapareceu dentro de mim: eu também perdi o futuro! Minha cabeça conviveu, nas últimas semanas, com a certeza de que o futuro que me espera nunca será tão bom como foi o meu passado. É impossível algo melhor do que a vida que eu e você vivemos juntos. Essa convicção surgiu recorrentemente nas primeiras semanas de sua partida e ainda ronda minha cabeça nos dias de hoje.

Quando você partiu, o meu desejo foi me isolar. Era preciso encarar solitariamente a devastação, aceitar a angústia crescente e pensar em como viver no buraco em que eu me encontrava, talvez para sempre. Era preciso olhar para dentro de mim. Era preciso viver a dor profunda, de forma integral e com intensidade.

Como escreveu Rubem Alves em sua crônica “Quando a dor se transforma em poema”: Escrevo como sonâmbulo, na esperança, talvez, de que as palavras consigam diminuir a minha dor. Mas eu não quero que a dor diminua. Não quero ser consolado. Não quero ficar alegre de novo. Quando a dor diminui é porque o esquecimento já fez o seu trabalho. Mas eu não quero esquecer. O amor não suporta o esquecimento.

A imagem que veio na minha mente é de que eu havia entrado em uma caverna. Essa caverna era minha. Não queria dividi-la com ninguém. Ela era só minha! Ninguém tinha o direito de entrar ou me tirar de lá. A decisão de avançar para dentro da caverna, ou sair de lá, cabia apenas a mim.

Ao longo do tempo, em determinados instantes, pensava: agora é hora de entrar na caverna. Nesses momentos, eu tratava de me distanciar de tudo para deixar fluir a dor profunda no meu coração. Ficava no canto, as vezes ouvindo música, dentro do meu mundo particular, deixando jorrar os pensamentos e as emoções. Isso me faz bem até hoje.

O segredo da minha caverna foi nunca me afastar de sua saída. Ou, nunca entrar tão fundo na caverna que me levasse à escuridão total. Conheço pessoas que perderam pessoas amadas e piraram, se descontrolaram emocionalmente, destruíram suas vidas, vivendo uma espiral sem fim de desesperança. Eu nunca me permiti chegar a um desequilíbrio desse tipo.

Dentro da minha caverna eu caminho para lados diferentes, me permitindo viver o luto de forma intensa e genuína, com todos os seus sentimentos, porém com a consciência de manter o pontinho de luz da saída da caverna sempre a minha vista. Quando desejo sair da caverna, basta ir em direção ao ponto de luz.

Essa caverna será a minha companheira para o resto da vida. Ela irá comigo para onde eu estiver. Na verdade, ela está dentro de mim. É dentro dela que eu me encontro com você, sempre na hora que desejar e o meu coração pedir.

Hoje, a minha caverna é escura, lúgubre, repleta de sombras, ecos distantes e abismos. É uma caverna de saudade triste e dor. Mas eu não quero isso. Quero uma caverna diferente. Quero uma caverna ampla, segura, iluminada, brilhante, com música feliz e celestial. Quero uma caverna com saudade feliz, de boas lembranças e de paz. Não quero mais uma caverna, na verdade eu quero uma catedral! Preciso transformar a minha caverna em uma catedral.

Nos últimos dias a minha caverna se iluminou. Pela primeira vez eu me senti dentro da catedral desejada. As coisas me pareceram mais claras e eu tomei uma decisão.

A nova fase de minha vida será a fase mais espetacular e formidável da minha existência. O meu futuro será repleto de coisas novas. Vou viver experiências que nunca pensei em fazer. Ou algumas que pensei em fazer, mas nunca fiz. O meu futuro será muito mais incrível do que a vida que vivi até agora. Esse é o futuro que sentenciei para mim.

Não quero mais lamentar o futuro sem a sua presença física, mas sim exaltar a vida mágica e linda que vivi com você. Vou celebrar a sua existência na minha vida, o que construímos e conquistamos, as experiências incríveis que vivemos juntos, e agradecer todos os dias pelo destino ter colocado você na minha frente naquele lindo dia 31 de dezembro.

A nossa jornada de convivência com o câncer, a montanha russa que vivemos, o desfecho da sua partida, tudo isso foram aprendizados. Tudo isso foi lindo e poderoso. Na essência, toda essa nossa experiência, incluindo a sua ausência, são perdas que se transformaram em ganhos. A jornada me transformou na pessoa que sou hoje.

Você não está mais fisicamente ao meu lado, mas está dentro de mim, intensamente. Eu sou um ser humano forjado por você. Esse é o meu maior ganho: eu sou a soma de nós dois!

Sim! Eu estou me transformando em um novo ser humano. E descobri que eu não perdi uma parte de mim com a sua partida. É o inverso. Eu ganhei você dentro de mim. Eu sou um ser humano melhor porque tenho o melhor de você dentro do meu coração. Estou pronto para viver um futuro incrível porque você me transformou em um ser humano incrível.

Não quero transformar a nossa história do câncer na história mais importante da minha vida, nem da sua, nem da nossa. Chega! Obviamente que nunca vou menosprezá-la, muito menos ignorá-la, mas a história do câncer é apenas mais uma história entre tantas histórias de nossas vidas. O câncer não foi o centro de tudo. Não somos vítimas do destino, somos abençoados por termos vivido uma linda história de amor, compaixão e doação.

Escolher o futuro que vou construir depende apenas de mim. Torná-lo inesquecível e incrível é uma decisão exclusivamente minha. E sei que você me diria para fazer isso, como falou em seus últimos meses de vida, me desejando toda a felicidade do mundo, cochichando no meu ouvido para eu aproveitar o presente que você estava me dando: uma vida verdadeiramente nova.

Entre olhar para frente, com paixão e entusiasmo, ou olhar para trás, com lamentação e melancolia, eu escolho olhar para frente

Eu quero ter um futuro maravilhoso, mesmo sem você, por mais que, nesse momento, isso possa parecer difícil e quase impossível. Talvez o segredo esteja no caminhar até esse futuro. Não será uma maratona, será uma caminhada longa e sinuosa, com altos e baixos. O segredo está nos passos, um a um, sempre para frente, desviando dos obstáculos e encarando com paciência as subidas mais íngremes. Serei para sempre um peregrino.

Amor. É essa a minha decisão: o meu futuro será a fase mais formidável da minha vida, com você sempre no meu coração. Simples assim.

Te Amo, sempre! Mauro.