Pão de Açúcar e suas Marcas

  • marketing

No dia 9 de junho, o Grupo Pão de Açúcar publicou um anúncio de página inteira nos principais jornais do país, comunicando a aquisição do Ponto Frio.

Dizia o anúncio:

Ponto Frio, Pão de Açúcar, Extra, CompreBem, Sendas e Assai. Está formada a maior rede de varejo do Brasil.

Há mais de 60 anos, o Grupo Pão de Açúcar investe e contribui para o desenvolvimento do país. Agora, com a aquisição do Ponto Frio, assume a liderança do varejo brasileiro com mais de mil lojas e 79 mil colaboradores. Para integrar todas essas forças, contamos com a mesma vocação para a inovação, o prazer em servir e a determinação de quem sempre busca o melhor.

Grupo Pão de Açúcar. Quando a gente conquista, o Brasil conquista.

Duas coisas me chamaram a atenção nesse anúncio. A palavra “integrar” e os logos das empresas no final da página inteira.

Realmente, integrar essas redes de varejo não deve ser fácil. Me caiu a ficha se faz sentido o Grupo Pão de Açúcar continuar com todas estas marcas separadas. Daí me surgiu uma pergunta: Se você fosse o gestor de marketing desse grupo, você recomendaria “matar” todas estas marcas e centralizar todos os esforços em uma única marca? Imagine o poder de fogo do grupo se todas as verbas de marketing fossem canalizadas para esta marca, com uma cadeia logística menos complexa e todos os 79 mil colaboradores unidos em uma única empresa.

Já que estamos falando de aquisição de empresas, a revista Exame acaba de publicar uma notinha, quase escondida, dizendo que o Marfrig revelou que mantém negociações para uma possível fusão com o Bertin. Essa será outra “senhora” fusão, criando mais uma mega-empresa global de alimentação.