Cuidado! A internet pode enganar você

Imagine o seguinte.

Você é gerente de uma empresa e precisa contratar um especialista urgentemente para a sua equipe. Você dispara o processo junto a recursos humanos, mas considerando a sua pressa e necessidade, você resolve buscar por conta própria o profissional que precisa.

Pesquisando na internet, você acaba encontrando o nome de um profissional que tem um currículo invejável. Quanto mais você navega na internet, mais informações positivas você encontra sobre esta pessoa. Ele tem página no Facebook, no LinkedIn, pessoas escrevem relatando trabalhos e projetos comandados por ele, etc, etc, etc.

Então? O que você faz? Não perde um minuto e já pensa em contratá-lo. Busca dali, busca daqui, você consegue o seu contato, conversa com ele, que se mostra interessado, faz uma oferta e ele aceita. Que sorte a sua, você encontra o profissional perfeito, com o currículo dos sonhos, para resolver os seus problemas.

A metáfora acima é a descrição do caso que vou contar abaixo.

O CSKA Sofia, time da Bulgária, fez uma proposta irrecusável para Greg Akcelrod, um craque francês de 27 anos. Ele seria o principal jogador do time na luta pelo campeonato nacional. Um jogador com experiência internacional e currículo impecável.

O seu currículo tinha passagens por clubes importantes como Paris Saint-Germain e River Plate. Ele também se apresentava como embaixador da Livestrong, organização de Lance Armstrong que apoia a luta contra o câncer. Tudo isso estava em seu “site oficial“. Sua página no Facebook também tinha informações importantes. Sem falar numa série de vídeos que mostrava o seu talento. Até reportagens estavam disponíveis.

Tudo isso seria lógico e razoável, se o craque Akcelrod não fosse uma farsa. É verdade que o craque virtual buscou se profissionalizar nos campos reais de futebol, chegando a fazer testes em clubes ingleses de divisões inferiores, mas não deu certo. Daí ele partiu para ser mais criativo no mundo virtual do que na vida real. Ele criou uma carreira vitoriosa na internet, criando e relatando histórias que nunca existiram, forjando um jogador que qualquer clube de futebol sonharia em contratar. E o CSKA quase caiu na pegadinha.

Os dirigentes do CSKA chamaram o craque para assinar o contrato e já saíram divulgando a boa nova na imprensa. Já até corria foto do craque na mídia com a camisa do CSKA. Nesse meio tempo, os torcedores do CSKA interessados em saber mais a respeito, entraram fundo na internet para pesquisar mais sobre o tal Akcelrod. A fraude surgiu quando os torcedores entraram em um fórum de torcedores do Paris Saint-Germain, onde ele teria jogado entre 2006 e 2008, e descobriram que ninguém conhecia o francês.

A notícia vem bombando na web, nos blogs, revistas e nos jornais, como o Wall Street Journal e o The Sofia Echo da Bulgária, terra do CSKA.

A lição é clara e cristalina. Não dá para confiar em tudo que vemos na internet. Au revoir.